Powered by Blogger.
RSS

O início



E de repente
a política
- a lítica -
de gabinete,
nebulosa,
treme.

E a política
- a poli,
a ética,
das multidões -
eclode
e floresce
pacífica
no asfalto!

E, pasmo,
vejo
o coletivo surgir
do singular.

Vejo
dois milhões de indivíduos,
sem partido,
escolhendo fazer democracia
por meios que o mundo
ainda não viu!

Vejo o inédito a desfilar
para temor e júbilo
dos que vivem
na pauta do formalismo instituído!


Gilberto de Almeida 
21/06/2013




  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comments:

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

"E a política - a poli, a ética, das multidões - eclode e floresce pacífica no asfalto!"

E nos devolve a esperança da redemocratização da democracia.

Parabéns pelo poema. Levarei para uma roda de leitura, na escola em que leciono.

Gilberto de Almeida said...

Que legal, Claudiane. Sinto-me lisonjeado. Que ele possa incentivar conversas produtivas na sua roda de leitura.

Post a Comment

Publicações populares