Powered by Blogger.
RSS

Olhar estreito


Clique na imagem para ver de onde ela veio!



Olhar estreito


Passamos quase a vida toda buscando uma motivação
Que nos faça acreditar que nossa vida não passou em vão
Assim seguimos metas e esquecemos por vezes o coração
Definimos nosso planejamento de vida sob a ótica da razão

Quando perdemos um bem valioso que sustentava nossa vida
Trabalhamos sob sol e chuva para repor essa peça perdida
Nem que para isso o esforço ocorra de uma forma desmedida
No fim o gosto que fica na boca é de uma batalha vencida

Mas quando é um ser que parte dessa nossa existência
O peso é bem diferente e nos confronta a uma impotência
Pois não existirá ofício que volte o tempo nem por clemência
O mundo segue seu rumo independente da nossa eloquência

E se essa pessoa que parte era considerada por nós especial
Daquelas que sentiremos a falta do sorriso em outro Natal
Daquelas que sentiremos a falta da alegria noutro Carnaval
Daquelas que foram nossa fortaleza a proteger de todo mal

É bem provável que nessa hora mudemos o nosso conceito
E passemos a ceder o devido valor que os seres têm direito
E invertemos a prioridade para o órgão que temos no peito
E sairemos da exiguidade feita com base num olhar estreito

Afinal, qual é a planilha de custo para se prover a felicidade
Quem foi que escreveu que é regra amar somente por piedade
Onde está escrito que vale mais o ouro do que uma amizade

Será que é necessário um adeus para aplacar a nossa vaidade?

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

7 comments:

Dulce Morais said...

Joel,
Não deveria ser necessário pagar o preço tão elevado, mas o Humano é assim feito que tem tendência para esquecer as evidências...
É belíssimo, o seu poema... Emocionante.

=> Crazy 40 Blog
=> Pense fora da caixa
=> Tubo de Ensaio
=> MeNiNoSeMJuIz®

Carlos Moraes said...

tem razão amigo... nosso olhar poucas vezes é abrangente como o coração... o preço é alto, sem duvida... abs

Cris Campos said...

J,

Por vezes só a perda aplaca nossa suposta segurança. Demais o poema! Gr. Bj.!

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

JG, acredito que boa parte do ser humano teoricamente até sabe que valores materiais não preenchem vazios ...
Mas como vivemos em um mundo capitalista, onde o mais importante é o ter, do que o ser. Por vezes só caem na realidade quando suas estruturas, são fortemente abaladas.

manuel marques Arroz said...

"A melhor forma de não perder nada não é guardar: mas compartilhar"

Lindo poema.

Abraço.

JG Costa said...

Grato pelos comentários! Vocês são demais! Abraços!

Rosa Mattos said...

oi JG, essas rimas ficaram ótimas e os versos com palavras certeiras, nos fazendo refletir.

abraços/

Post a Comment

Publicações populares