Powered by Blogger.
RSS

Poema sem sentido

Desejo, de Carlos Saramago -  http://carlos-saramago.blogspot.pt/


Nasceu pássaro
Perdeu as asas
Por falta de uso;
Tentou cantar
Mas não era ave canora
Esse ofício não ia ter;
Não sabia nadar
Peixe não poderia todavia ser;
Correr também não conseguia
Para a savana não havia de ir.

Fincou-se então ao chão
Falou com a terra
Bem alto lhe pediu,
A terra acedeu.

Árvore ali nasceu
Dá abrigo e sombra,
A quem asas tem
E a voar quer aprender.

Isa Lisboa

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

8 comments:

Bia Hain said...

Quando não sabemos como usar nossos dons, precisamos então ter sabedoria para pedir a coisa certa. Adorei o poema...um abraço!

Dulce Morais said...

Isa,
Como eu já disse noutro espaço, poderá não fazer sentido (se bem que eu vejo lá muitos...) mas tem raízes perfeitas!
Parabéns.
BJos!

=> Crazy 40 Blog
=> Pense fora da caixa
=> Tubo de Ensaio
=> MeNiNoSeMJuIz®

Isa Lisboa said...

Obrigada a ambas pela leitura e pelo comentário!
Bjs

Isa Lisboa
=> Instantâneos a preto e branco
=> Os dias em que olho o Mundo
=> Pense fora da caixa
=> Tubo de ensaio

Sandro Panografia said...

Felizes são os poetas que mesmo enraizados, deixam suas almas vagarem pelo universo, uma hora voando ou cantando noutras, correndo ou nadando ! Este poema faz muito sentido sim ! Muito linda !Parabéns Isa Lisboa !

Isa Lisboa said...

Que bom que gostou, Sandro! Obrigada pela visita!

Marcos Barbosa said...

Show
Gostei muito.

Marcos Barbosa said...

Gostei muito

Isa Lisboa said...

Que bom, Marcos, obrigada!

Post a Comment

Publicações populares