Powered by Blogger.
RSS

Fénix

Sculpture by Ellen Jewett
A cada novo beijo do fogo
As minhas penas renascem
Mas seu fulgor nunca é o mesmo
Em cada novo nascimento
Suas cores com menos vivacidade
Ressurgem
Como se em minha alma
Menos vida habitasse já
Assim, o fogo me abraça
Toma o meu corpo sem resposta
Assim voo
Qual Fénix

Cansada de renascer…

Isa Lisboa

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

7 comments:

Gilberto de Almeida said...

Bela imagem a da Fênix, a do fogo, a das cores. A Fênix só não percebe, mas as cores são cada vez mais vivas!

Kizy Lee said...

Isa querida,

Seu poema nos convida a reflexão, reflete intensidade...
Com carinho

Isa Lisboa said...

Obrigada, Gilberto! Talvez a Fénix apenas se sinta cansada, mas não consiga evitar renascer! :)

Kizy, obrigada pelo seu carinho, bom que tenha gostado!

Bjs a ambos

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Apesar do cansaço a essência em si impulsiona o renovo.
E como diz a letra de uma música nada do que foi será do jeito que já foi um dia...
Bjs.

Dulce Morais said...

Renascer para sempre recomeçar, sendo sempre a mesma sem nunca ser igual. Talvez seja esse a receita para continuar no caminho sem nunca cair nos desvios.
Adorei, Isa!
Bjinho

Isa Lisboa said...

Obrigada, Dulce e Claudiane! :)
Beijinho

Gilberto de Almeida said...

É isso, Isa. A Fênix só está cansada, mas viverá com energia a cada renascimento! :)

Post a Comment

Publicações populares