Powered by Blogger.
RSS

A linha que separa a vida da morte



A linha que separa a vida da morte

A vida e a morte
O começo e o fim
A luz e a escuridão
Onde começa um e termina o outro?
Onde são encontradas? Pergunto-lhe.
Ao nascer é possível contemplar a luz
Ao morrer a plenitude da escuridão
Ou será ao contrário?
É possível se ver luz na escuridão?
Ou será mais comum está sobre a luz, vivendo na escuridão?
Se a vida é a luz, e a morte a escuridão, quando ambas acontecem?
A vida e a morte
O começo e o fim
A luz e a escuridão
Ao dormir fecho os olhos e aguardo o fim do dia
Entrego-me à profunda escuridão, e morro.
Ao acordar abro os olhos entregando-me à luz
Sabendo que aquele é o começo de um novo dia, e vivo.
Chego à conclusão:
Morro e Nasço todos os dias.

Jessica Morgan


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

7 comments:

Dulce Morais said...

A linha é ténue e entre os dois e cada dia é um recomeço...
Gostei muito!
Seja muito bem-vinda neste espaço, Jessica!

Jéssica Morgan said...

Obrigada pelo espaço, Dulce! E é exatamente isso, todos os dias morremos um pouquinho, mas também renascemos para as novas oportunidades!

Isa Lisboa said...

Jéssica, parabéns pela sua primeira postagem!
Seja bem vinda a este grupo!
Um abraço

Claudio Castoriadis said...

Lindo! lembrei daquela máxima do Rimbaud: "eu me decomponho nesse lugar" algo do tipo. Parabéns pelo poema honesto e filosófico!!

Carlos Moraes said...

a conclusão nem precisava ser tão intensa, tal a tessitura do poema... mas é, gente sensível também pensa...

Gilberto de Almeida said...

Adorei a reflexão! :D

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Onde começa um e termina o outro? Múltiplas reflexões.
Seja muito bem vinda a esta família.
Bjs.

Post a Comment

Publicações populares