Powered by Blogger.
RSS

Bonecos palitos




Era apenas uma folha de fichário, logo pensei em lhe dar um fio de vida. Confesso, de repente surgiu uma dúvida, desenhar sobre o quê? Deixei a imaginação correr solta... Taí, achei o tema "lealdade".

Na folha amarelada tento desenhar humanos em atitudes leais, mas o que surge são representações rudimentares e díspares... Paro e penso se na vida existe o bem e o mal, também é pessoal ser ou não desleal.

Desisto da ilustração e resolvo pesquisar o que grandes filósofos pensavam sobre o tema. Quem sabe eles não me inspiraria a escrever uma prosa poética Dentre tantas uma citação de Confúcio me chamou bastante atenção " Coloque a lealdade e a confiança acima de qualquer coisa: não te alies aos moralmente inferiores; não receies corrigir teus erros. A parte sublinhada remeteu-me a pensar em um homem livre, como um pássaro do Pantanal. Sim esse homem existe por um acaso poético é meu marido e sua luta em não fazer alianças com o que julga estar contra a lei é bem acentuada. Neste ponto também esqueço a prosa poética que tentava escrever e peço a ele que fale sobre lealdade.

                                                                   Claudiane  


Lealdade, é aquele que é fiel aos seus compromissos e amizades; qualidade de quem é honesto, de quem tem respeito, de quem tem amor; por outro lado, pode ser uma qualidade de quem é servo, cúmplice. Este valor ético, no setor público, é usado pelos patrimonialistas e corruptos como forma de coação contra aqueles que não aceitam locupletar-se da coisa pública.  Ou seja, se não aceitar a corrupção, demitem-no por deslealdade. Lealdade, para mim, é um valor que se oferece à(s) pessoa(s) amada(s), ao País, ao lar, à comunidade, à fé.
                                                                  Sylvio Ricardo da Silva
                                                                            14/10/13

Pois é Ricardo, citarei alguns  versos da música " Funk da Lama",do Zeca Baleiro e gostaria que você comentasse.

"O mundo esta atoladinho na lama." Você acredita que um dia sairemos dela?

Acredito que sim, mas levará bastante tempo, talvez, algumas existências. A evolução ética e filosófica do ser humano não acompanha a rapidez da evolução tecnológica. A segunda é movida, geralmente, pela ambição. A primeira, depende de políticas públicas adequadas, famílias estruturadas, bons empregos e renda para todos... Enfim, respeito, lealdade, honestidade, probidade e humildade daqueles que deveriam servir ao público.

"Tanto faz se é Demóstones ou Palloci
Se é  Fábio Melo ou Marcelo Rossi
Você vai ter que responder pelo que faz, você vai ter que responder pelo que diz"

Como disse acima, precisamos do respeito, da lealdade, da honestidade, da probidade e da humildade daqueles que deveriam servir ao público. Mas, as leis são feitas pelos Paloccis e Demóstenes, são elaboradas com duplo sentido, e a ignorância popular é que vai determinar a responsabilidade, ou não. O aparato jurídico e tributário nacional são extremamente complexos, favorecendo lobbies, tornando incompreensível o que deveria ser de fácil compreensão, ou, transparente, o que é opaco. 
 O acesso à justiça não está disponível aos pobres, enquanto os inúmeros recursos são de fácil acesso aos criminosos do colarinho branco e do crime organizado. Como cantou Cazuza, na música "O tempo não para": "... Transformam o país inteiro num puteiro. Pois assim se ganha mais dinheiro". O que constata-se é que "sem justiça, não há democracia".


                                Se não conhece esta música do Zeca Baleiro convido-o









  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comments:

Ritinha said...

Bom dia!
Belíssima postagem para reflexão sobre lealdade e vida num todo.
E Zeca Baleiro é fantástico no seu estilo, gosto muito!
bjs
Ritinha

Isa Lisboa said...

Na realidade, não sei se acredito, mas espero que um dia possamos air da lama! Uma boa escolha de tema, com uma abordagem excelente, em todas as perspectivas escolhidas!
Um beijinho

hbsaquarema said...

....mas o homem que por mais humilde for....não teme porque nada deve a aqueles que tentam diminui-lo mais e mais....ergue sua enxada o lavrador...as vassouras.... donas de casa e garis...colheres em punho...pedreiros...serrotes e martelos o artista marceneiro.... o carpinteiro....buzinas soam estridentes pelas mãos de taxistas e os condutores de veiculos de toda sorte e tamanho....nobres professores..réguas e giz em punho....acompanham seus alunos....engenheiros e médicos....advogados...doutores de toda monta....seguem...juntos ao povo....que clamam...pela sorte....
"Dos filhos deste solo és mãe gentil,
(Você é a bondosa mãe dos que nascem aqui,)
Pátria amada,
(País que amamos,)
Brasil! "

hbsaquarema said...

Verás que um filho teu não foge à luta,
(Vai ver que um filho teu jamais foge a uma luta,)
Nem teme, quem te adora, a própria morte.
(E quem te adora, não teme nem a própria morte)
Terra adorada,
(Terra que amamos,)
Entre outras mil,
(Entre tantos outros,)
És tu Brasil
(Você, Brasil,)
Ó pátria amada!
(É o país que amamos.)
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
(Você é a bondosa mãe dos que nascem aqui,)
Pátria amada,
(País que amamos,)
Brasil!

Post a Comment

Publicações populares