Powered by Blogger.
RSS

Tudo Que Deveria Ter Falado... Por Danka Maia

 



 

Ela deitou-se suspirando em sua cama quente e fria, olhou para o teto fechando um pouco os olhos e por um instante pensou:
_Como posso acreditar em algo que jamais existiu?
Alicia virou-se na posição fetal e começou a relembrar o primeiro dia que o tinha visto na saída da cafeteria ao lado da Faculdade. No dia seguinte ela estava lá olhando para o relógio apenas a espera dele.
Sorriu com a lembrança, apanhou seu velho diário debaixo do travesseiro e principiou a escrever aquela carta que talvez jamais chegasse ao seu destino final.
Oi! Como vai? Eu estou bem, mas você eu não sei. O motivo é que não sei mais muito sobre você, no entanto, ainda sei muito sobre mim. Parece que tudo passou, foi embora, acabou não é verdade? Não te vejo mais e a saudade, traduzida em um nó aqui no coração, na alma, me lembra de tudo, de tudo que não te contei. Pensei que havia sido clara, agora acho que não. Simbologia não funciona muito quando precisamos falar do invisível. Metáforas até são boas para se falar do inconfundível, por isso acho que falhei! Falhei porque não disse tudo com nitidez, me perdi pelo medo do não correspondido e confessei sem declarar o amor que eu já não esperava que você percebesse. Como poderia? Você nunca nota nada além desse seu mundo pequeno, egoísta, medíocre... E que eu tanto amo!
Presentes, poemas, músicas, não são suficientes, quando se precisa dizer na cara o que sentimos,a questão é às vezes a coragem é mais fácil de ser escrita do que incorporada.
Hoje, confesso que pensei em você.
Lembrei-me de tudo, de tudo o que eu pelo menos vivi, senti saudade e refleti em como seria a vida, a vida que a gente não viveu,que jamais viveremos porque jamais existirá. Acho que você não notou ou se notou, não me tocou, talvez, não quis me magoar, apesar de ter me machucado da mesma maneira.
Nem a amizade ficou.
Tudo bem assumo que sobrevivo e bem sem sua presença, assim, mesmo que um pouquinho mais infeliz do que era antes.A questão é que até a tristeza era mais feliz ao seu lado,só nunca te falei. Amores novos nos levam pedaços velhos que nunca mais acharemos. Isso é só uma parte, trechos de tudo que te ocultei.
A vida é feita de escolhas e lamento, porém encaro e aceito que você não me escolheu. O que posso fazer? A dor é única,e a vida segue.

E hoje, em que meu coração sente sua falta e meus dias se acostumaram sem você, quero somente lhe desejar bom dia, ou melhor, uma boa vida!

Sem mim, sem nós...



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comments:

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Danka , esta frase não me sai da cabeça "Simbologia não funciona muito quando precisamos falar do invisível. "
Parabéns!

Isa Lisboa said...

Danka, a frase que a mim ficou foi:
"Amores novos nos levam pedaços velhos que nunca mais acharemos."
Muito sentimento neste texto! Gostei!
Um beijinho

Sandro Panografia said...

Danka ... sempre que posso, leio seus artigos ( que por sinal dispensam comentários ). " Tudo eu que deveria ter falado " é que Você realmente é uma escritora magnífica e esta sua crônica é maravilhosa ! Consegue prender a atenção do leitor, do início ao fim. Tudo perfeito ! Parabéns e um forte abraço !

Danka Maia Escritora said...

Clau, Isa, Sandro...Obrigada por dividir seus olhos com meus sentimentos.O melhor desta crônica é que verdadeira,é que faz parte da minha vida, e o melhor digo agora, ao ler...ELE VOLTOU!
Beijocasssssssssssss!

Post a Comment

Publicações populares