Powered by Blogger.
RSS

As cartas se escrevem pelas paredes, 5

Clique aqui para ler os capítulos anteriores do conto…

flores


Rodolpho,

...não vai acreditar, mas hoje acontece algo engraçado. A campainha tocou próximo das onze horas. Estava na cozinha tentando misturar ingredientes. É sempre muito difícil fazer isso quando o único paladar a agradar é o seu próprio - pois bem, era um entregador desses jovens, de poucas palavras e com um olhar atento. Senti que enquanto assinava o papel que ele me entregou, observou todo o interior de meu apartamento. O jovem de boné virado para trás deixou comigo um buquê de flores e, eu - acredite você - pensei serem suas -, para mim.
Eu sei que não tens o meu endereço, mas por alguns segundos - até o rapaz perceber o engano quanto ao andar - elas foram minhas -, e, vinham de você...
Passado aquele segundo, voltei para a cozinha e fiz uma omelete com gosto de ovos. Que outro gosto teria, não é mesmo?
Perdoe-me escrever-te assim do alto de minha solidão, mas o inevitável aconteceu, você ocupou o espaço vazio onde até então eu vivia em paz - mas desde que você chegou com suas palavras, percebo que nada mais é como era antes.
Escreva-me quando puder, vou gostar de "ouvir a sua voz".
Abraços,

Julia


>> continua…

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

7 comments:

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Há um movimento na vida da Júlia, muito bom .Espero que a magia desse movimento chegue logo na realidade.

Isa Lisboa said...

Esta missiva de Júlia tem poesia! E também eu gosto de ouvir a voz desses dois personagens! Aguardo com curiosidade as próximas páginas!
Bacio!

B. said...

Ao meu ver, foi o melhor capítulo até hoje. Emocionante, revelador e dá pra sentir as emoções de Julia do começo ao fim. Estou curiosa para o desfecho.

Karlinha Ferreira said...

Sutil... Belo...
Solidão geralmente tem nome e rosto, é difícil distrair o coração, e aqueles segundos se petrificaram no espaço-tempo dos corações apaixonados...

Beijo grande,
Adorei... ^^

Tatiana Kielberman said...

Ler você é sempre uma oportunidade de devanear... Grata por isso!

Beijos, Lu!

Unknown said...

E o que acontece com toda essa correspondência Lunna? O que virá depois? Eles se encontram? Quando ocorre o desfecho?

Unknown said...

Adorei cada linha desse conto Lu, desde quando ele entra em contato com ela de maneira tão misteriosa até esse momento em que ela pensa nele através de flores que não são pra elas. Lindo. Lindo. Lindo. Quero mais.

beijokas

Post a Comment

Publicações populares