Powered by Blogger.
RSS

O pastor sobre o rochedo














No horizonte, amanhece,
a paz timidamente começa
e eu aprecio
sobre a aridez insulada da minha vida.

Amanhece sobre o mar,
oscila o espelho luminoso
e eu aprecio
da altura do rochedo dos meus temores.

Na mata fresca, amanhece,
doura-se o verde contemplativo
e eu aprecio
sobre o leito rude do meu pranto.

Amanhece a música na vida,
São bem-te-vis, sabiás, nem-sei-mais
e eu aprecio
do silêncio indevassável da noite antiga.

Na Terra, tudo amanhece,
fluem os rios, prateando o dia
e eu aprecio
sobre a inércia, ávido de movimento.

Amanhece o firmamento,
Deus vibra, infinitamente manifesto,
e eu aprecio
sobre o sólido reduto das minhas preces.

Dentro de mim, amanhece.

Gilberto de Almeida
28/02/2014


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Na onda de meus sonhos !

Aqui o sonho
longe respira a vida.
a eternidade é nossa
as minhas palavras sufocadas
terão a sua hora de amar...

Oh! as minhas ilusões!

Manuel Marques (Arroz)

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Caramba, como dói está decisão





Caramba como dói , está decisão
mas te ver assim...
Foi você que nos escolheu
e hoje escolhi não te ver sofrer


Você sempre estará no coração dessa família
já sinto falta de seu latido, Lobaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa


Está página estava em branco
Foi tingida com seu sangue
e o  meu sal

LOBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Nunca mais como galinha.





  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Pena de Amor

Essa música conta a história de uma escrava que toda vida servira a um senhor sozinho... quando cresceu, ele sentiu pena dela e não quis usá-la (tê-la como esposa) pois ela era muito jovem e ele era velho e desmerecia tamanha doçura. Pediu a menina para ir buscar outro amor. Confiram só. :D


Na noite escura,
Procura por mim.
Sua loucura me deixou triste assim.
Seus devaneios, o dia todo,
O ano inteiro.

E é assim,
Menina manhosa,
Que toma conta de mim.
És tão formosa,
Deslumbrante,
Neste instante me entrego a ti.

Sê tu minha protetora,
A mais zeladora de todas as mulheres,
Sê tu como quiseres,
Basta que por um dia me recupere.
Sê tu meu acalanto,
Abraço pro pranto,
Que tanto me vem.
A ti convém o meu espanto,
O meu silêncio,
E a fala também.

A ti eu devo a minha herança,
Pois desde criança cuidaste de mim.
Mas mesmo assim,
Serve-me com grado,
O teu agrado,
Me faz ser feliz.

A todo instante,
Quando na aurora,
Outrora me chamas a ti.
No mesmo instante,
Daquele princípio,
O príncipe omisso,
Se entrega aqui.

A sua espada cravada na pedra,
Nem ele a pega,
E nem ninguém mais.
Mas neste momento,
Cabelos ao vento,
Menina tu traz.

Sua beleza,
Firmeza e doçura,
Sua formosura é o que me satisfaz.
Suas retinas,
Oh! Pobre menina,
São duas maltrapilhas,
De um que agora jaz.

Oh! Menina negra,
De mim não se esqueça,
Nunca haverei de esquecer-te também.
Mas eu te peço,
Se lembre de mim,
Quando estiveres amando alguém.

Sempre servia-me,
Mas mesmo assim,
Tudo que eu via em tu era o fim.
Todos os dias,
E noites também,
Menina te peço,
Arranje alguém.

Eu já estou velho, cansado e inútil,
Meu ser frágil é fútil,
Mais do que ninguém.
Por isso te imploro,
Menina eu choro,
A procurar alguém.
Como antes chorei,
Menina te amei,
Como nunca mais,
Amarei outro alguém.

Mas me esqueça,
Você é tão jovem,
Minha origem é nobre,
Mas meu ser é ninguém.
Pobre menina,
Vives sozinha,
Apenas comigo,
Sozinho também.
Oh! Coitadinha,
Trancada na cozinha,
Menina, meu bem.

Case-se com um rapaz jovem,
Não deixe que morra,
A sua deslumbre,
Paixão por alguém.

Menina se esqueça do que já te fiz,
Seja feliz com seu verdadeiro bem.

Simon-Poeta

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

A Arte: Cotidiano de Todos

A arte faz parte,
Do que se invade.
A arte é a metade,
Daquilo que nem tem começo.

A arte é o sonho vivido,
Pelo cotidiano trazido,
Pelos artistas revelado,
E pelo poeta nivelado.

A arte é uma realização,
Que se sabe o que se vê,
E mesmo assim, se crê,
Que a arte não tem coração.

A arte é um ser vivo...
Sabe como ser comigo,
Sábio ser como todos.
Sabe ser como poucos.

A arte é o dom de fazer o que sabe.
Quem sabe é artista. Faz arte.
A todos tudo cabe.
A poucos cabe essa parte.

Há muito tempo existe a arte de ser,
Mas, a poucos meses, resolveram aprender,
Que a verdade da vida,
É a despedida,
De um para com outro ser.

Simon-Poeta

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Felina 2




Hoje acordei com os olhos dela
bem atentos me seguindo,
Com seus olhos de felino.
Ela engatinhou pelos lençóis,
me seduzindo.


Estranhei e perguntei.
E ela respondeu rindo:

Você é minha bola de linho.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Do inútil ao importante

Arte: Alessandro Gottardo



Do inútil ao importante

Controlo 
Consumidor em formação
Remoto
Obsolescência?

Amasso
Poluição 
Possuo
Tenho
Sou.

Oneomania 
Induzida
Pelo marketing.

E  se não tenho 
Não posso
Existir.

Preciso 
No meu
Instante
Achar um jeito 
De não ter
E existir.

E se ser
Fosse mais
Que estar vivo?
E se viver
Fosse mais
Que deter?


Claudiane Ferreira e Dulce Morais

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

As cartas se escrevem pelas paredes, 6

Para ler os capítulos anteriores clique aqui…

 

catarina 13

 

Rodolpho,

 

...estou preocupada...
Faz duas semanas que lhe escrevi pela última vez e, nenhuma notícia sua desde então eu recebi. Não tenho outro contato seu. Em nossa correspondência moderna não nos ocupamos de nos dar mais de nós mesmos.

O que foi que fizemos? Nos ocupamos de falar em um bendito livro encontrado por você e que te trouxe a mim. Ainda não sei como isso aconteceu – as vezes nem parece possível e, já me questionei tantas vezes sobre a verdade por trás dessa troca que poderia ser imaginária...

Acabei comprando o livro na Livraria Cultura do Conjunto Nacional na última semana – foi o jeito que encontrei para tentar por fim a esse silêncio que se estabeleceu entre nós dois e, também para tentar compreender o que foi que te trouxe até mim. Confesso que não avancei muito na leitura, mas percorri, de certa maneira os mesmos caminhos que você, com o livro em uma das mãos e a esperança na outra. Pensei que talvez pudéssemos esbarrar um no outro e, você me reconheceria como na cena do filme em que Tom Hanks e Meg Ryan combinam um encontro no café sem saber um do outro – assisti novamente a esse filme na noite passada.

Eu sou mesmo uma sonhadora – sou igualmente solitária e, desde que você atracou em meu mundo é que percebi que essa casa tem cômodos demais e, móveis de menos... Eu sigo alimentando o gato do vizinho que me faz companhia nas noites em que o sono foge de mim – quase todos os dias são assim. Quando me esqueço de deixar o vitrô da cozinha aberto, ele estala suas unhas contra o vidro e choraminga como se estivesse a chamar por mim...

Eu acho que estou a delirar – e, isso me consome e preocupa – tenho razões para temer a loucura já que é coisa comum em minha família...
Reli seus escritos todos na última hora e, fiquei a pensar por alguns segundos nessa sua história de vida – nesse seu amor do passado e, comecei a imaginar o que teria acontecido a ela. É o que faço de melhor: imaginar. Sonho o tempo todo – inclusive quando acordada. Não sei absolutamente nada sobre vivencias – não pratiquei muito nessa minha vida. Sei apenas sobre viver do lado de dentro, com os olhos presos ao branco da parede. As vezes eu acho que seria uma boa escritora – ao menos na construção da história. Escrever já seria outra coisa – mas, tenho pra mim que não me sairia muito bem. Talvez se não precisasse do papel sendo possível escrever apenas em minha mente que é onde tudo de fato acontece.

Eu deliro enquanto escrevo também – me perco – me afasto –, vou em outras direções deixando de lado a tela e as palavras. Sempre fui assim. Tive dificuldades em concentrar-me nos estudos quando em idade escolar. Fui uma estudante regular – com notas suficientes para o ano seguinte viver. Os cadernos eram eternos rascunhos. Vivia comprando novos para passar o anterior a limpo e, assim o ciclo nunca se completava. Eu sempre fui incompleta – uma pessoa a espera que algo acontecesse...

Na última hora visitei umas cem vezes a minha caixa de entrada – de minuto em minuto – pensando encontrá-lo por lá... O seu silêncio esta a me torturar, mas eu imagino que a essa altura você deve ter percebido que sou uma maluca-desvairada-e-totalmente-insana que cuida do gato do vizinho e se debruça na janela para espiar sombras no meio da noite. Em seu lugar também iria evitar contato comigo, afinal, eu poderia comprometer sua sanidade.

Entendo! Mas, por favor, ao menos diga-me se esta bem... Não precisa dizer nada mais, apenas uma palavra. Diga-me de qualquer maneira "vivo e sobrevivo – não espere mais por mim" –, ou apenas "estou bem". Mas se preferir menos, não me magoará. Só quero sabê-lo bem – para tanto, uma palavra apenas será o bastante porque esse seu silêncio está a destroçar minha alma.

Ontem, na Biblioteca Mário de Andrade – lugar que passei a frequentar na esperança de tropeçar em você – vi esse senhor a ler o “nosso livro” e, pensei ser você. Talvez fosse – já que não me aproximei – permanecendo a distancia. A sabê-lo de dentro do meu silencio. Ele ficou lá com sua ausência de movimentos – apenas o ato comum de virar página por página com a ponta dos dedos... Levantou-se ao final da leitura, enxugando os olhos com um lenço branco – aparentemente emocionado e, em seguida limpou as lentes dos óculos (embaçadas). Passou por mim sem saber-me ou notar-me ali em meu canto e, foi embora. Poderia ser você... Todos os homens pelos quais passo – ultimamente – pode ser você. Abraços

 

 

Ps. Terminei de ler o “nosso livro” há pouco, queria que soubesse. Estou sem chão – vazia. A história narrada ali  poderia ser minha – sua – poderia ser de qualquer um. Vou comprar flores hoje a caminho para o trabalho e, mandar entregar aqui em casa…

 

 

Júlia

(fim)

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Mealheiro de sonhos (Parte III)

Arte: Little Ballerina_Joe Chicurel
O lago dos cisnes

Parte I )

E nos anos seguintes, realmente o meu pai começou a passar menos tempo em casa, como me tinha dito. Também nunca faltou ao prometido de ir ver todos os meus espectáculos.
Durante esse tempo perguntava-me que sonhos andariam os meus pais a comprar, pois não via nada de muito diferente em casa.
Até que, quando era já bem mais crescida, encontrei um papel que me deu todas as respostas. Era a factura das minhas aulas de dança.
Agora que já entendia o valor do dinheiro, percebi nesse dia que alguns sonhos também se pagam em moedas.
Também foi esse o único dia em que vi os meus pais verdadeiramente zangados, depois de eu lhes dizer que não poderia mais continuar nas aulas.
Foi um dia de muitas aprendizagens, a outra foi de que melhor que comprar sonhos para nós, é comprar sonhos para quem amamos.
Na semana passada foi o último dia do meu espectáculo. O meu primeiro espectáculo como prima ballerina, e logo um grande sucesso. O reconhecimento chegou de uma forma inesperada e avassaladora. Todas aquelas primeiras aulas da infância voltaram á minha memória a uma nova luz. Todos os anos de esforço, todos os sonhos, ali, no palco!
Como sempre, os meus pais estavam lá a assistir. Viajaram de propósito para me ver! Apesar de agora não conseguirem ver todos os meus espectáculos, fazem sempre questão de ver os mais importantes. Vieram na sua velha carrinha. Já não é a mesma de há tantos anos atrás, mas já atingiu a mesma idade que a sua antecessora. No final receberam-me com o mesmo sorriso que me recebiam quando eu era uma pequena bailarina de vestidinho azul. Sempre me sorriram como se eu fosse uma prima ballerina. Voltaram para na minha casinha de infância e hoje vou lá ter com eles.
Já tenho agendado um novo espectáculo. Temia não conseguir repetir, depois de tudo o que este espectáculo foi para mim, temia jamais conseguir dançar uma peça tão bem.
Mas já não consigo parar, por isso disse sim.
Tenho então umas pequenas férias e vou até casa dos meus pais. Vou levá-los a passear. O que eles não sabem é o destino da viagem.
Quando chego lá, peço para irmos na carrinha deles. É o transporte que me parece mais adequado.
Percorri aquela estrada que fazíamos uma vez por ano, há tanto tempo. Ainda me lembrava da primeira vez. Parecia que estava tudo igual, as cores, os sons e a dança do mar com a areia.
“Tenho uma coisa para vocês!”, - Sorri eu desta vez. E estendi-lhes o pequeno mealheiro azul e branco. “Também eu tenho guardado estes anos um mealheiro de sonhos, e este é para vocês!”
Sem saberem o que se passava, aceitaram o mealheiro e a pequena rocha que lhe entreguei para o partirem.
E por entre os pedaços de azul e branco surgiu então o sonho que eu tinha para lhes oferecer: uma pequena chave.
Ficou todos aqueles anos à venda, talvez tenha ficado à espera dos seus verdadeiros donos, de alguém que queria viver lá para acordar todos os dias com o som do mar.

(Fim)


~*~ ~*~ ~*~ ~*~ ~*~ 

Dedico este conto a todos os colegas do Tubo de Ensaio, para que sempre se lembrem do valor dos sonhos e por isso nunca deixem de lutar por eles. Em particular, dedico-o a três grandes mulheres:

A Dulce que lançou este lindo desafio e que está sempre pronta a colocar uma moedinha – ou várias – nos mealheiros de sonhos dos amigos!
A Claudiane que sei que gosta muito de contos e que para profissão escolheu ensinar crianças a seguirem os seus!
A Danka, que escreve lindos contos e que é um exemplo vivo de que devemos sempre seguir os nossos sonhos!

                                                             ~*~ ~*~ ~*~ ~*~ ~*~ 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Meu Anjo


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Mealheiro de sonhos (Parte II)

Arte: Little Ballerina_Joe Chicurel


Swan lake - Four little swans


Deixou-me brincar na areia molhada, sentir o frescor da água, saborear o sal que se sentia até nas narinas. Deixou-me brincar até me cansar, até que me fui sentar ao pé dele e lhe perguntei porque não vivíamos ali.
“Eu e a tua mãe sempre quisemos viver aqui. Vês ali aquela pequena casinha branca e azul? É muito bonita, já está há alguns anos à venda. Se a pudéssemos comprar, seria suficiente para nós, todos os dias podíamos acordar, e dizer bom dia ao mar.
“Oh papá, mas essa é uma ideia muito boa!”Gritei eu, batendo palmas.
Ele sorriu e explicou: “Comprar uma casa para os adultos não é o mesmo que comprar uma casa como a que fiz para as tuas bonecas… Tudo é muito maior, e precisamos de lhe pôr mais coisas dentro. E por isso tudo custa mais dinheiro.
“E como podemos arranjar mais dinheiro, papá?”
“É por isso que os adultos trabalham, para poderem comprar as coisas do dia-a-dia, como a nossa comida, por exemplo. E depois, quando conseguem, guardam-mo no banco – assim como uma espécie de mealheiro grande. E às vezes, quando o dinheiro não chega, precisam trabalhar mais.”
Aí fez uma pausa para me deixar entender tudo.
´”É isso que vou ter que fazer. Vou ter que começar a trabalhar mais. Mais tempo. E por isso, terei menos tempo para estar contigo, já não poderei ir tantas vezes ver a tua aula de dança. Mas quero ir ver os espectáculos.
“E precisas trabalhar mais para colocar no teu mealheiro?”
“Sim, um mealheiro diferente. Não vou guardar, vou usá-lo. Em algo que todos gostamos muito, e é ainda melhor que pô-lo no mealheiro.”
“E vais gastar em quê?”
“Ora, vá lá, não te preocupes com isso. Hum, digamos que vou gastá-lo em sonhos, e esse é um bom uso, não achas?”
“Acho que sim, papá!”
(Continua amanhã)

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

QUANDO CHEGA A PRIMAVERA

QUANDO CHEGA A PRIMAVERA

Todo ano a Primavera Chega,
já completei mais de sessenta,
e por incrível que pareça
há coisas que se experimenta,
não é nada palpável,
mas enfim é lamentável,
é surpreendente como
tudo e todos tende a se modificar,
só não sei, se isso
é evolução ou involução.

Mas enfim, quer queira quer não,
depois de tantas Primaveras,
todos já tem uma Historia,
e isso é inevitável,
e as vezes fica difícil ser Sociável.

Esta tudo muito esquisito,
já não reconheço quase, mais ninguém,
prefiro me recolher a minha insignificância,
ter coerência, ser fiel a própria consciência,
torna difícil a convivência,
melhor mesmo é ter certa abstinência,
essa é a melhor prudência.

A Liberdade tem um preço alto demais,
e esse preço não é algo material ,
mas enfim e tudo questão de Livre Arbítrio,
pois há certas atitudes que não me permito,
é assim que é, a Vida não é algo factício,
e não me engano, não a vivo,
como um conto fictício,
não quero fazer de minha mente um hospício.

Então depois de tantas Primaveras,
nessa minha doce decisão,
de ser um solitário,
cada vez mais desapegado,
me afasto do que julgo arbitrário,
faço do meu viver um santuário,
sem dogma, sem mistério,
esse é meu critério.

Marco Aurelio Tisi
( 18/02/2014 )

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Desafio Bailarina - ai de ti...



eu já não sei quem eu fui
e também não sou quem eu seria...
ai de mim.

jamais te deixaria aí,
menina,
a ouvir essa musica
sem som
o coração fora
do tom
a sonhar no momento de viver...

o espelho não é mais você
nem é o reflexo daquilo que virá a ser...
ai de ti.

jamais deveria se deixar aí,
menina,
com esse olhar
que espanta
essa calma tardia,
não se levanta
a musica está a se acabar...

queres ser uma bailarina de Degas
ou dançar no Bolshoi?
Isso dói,
se teus pés foram feitos para voar
não os deixe no chão
tu não serás
o que deixei de ser...

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Sawabona Shikoba

Sawabona Shikoba!


SAWABONA, é um cumprimento usado na África do Sul e quer dizer:
"Eu te respeito, eu te valorizo. Você é importante pra mim"

Em resposta as pessoas dizem SHIKOBA ,que é:
"Então, eu existo pra você"



 Eu existo pra você quando
 sou livre para não concordar com certas atitudes
 sou pássaro sem gaiola

                                            Claudiane Ferreira

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Mealheiro de sonhos (Parte I)

Arte: Little Ballerina_Joe Chicurel
Ballet Karina Rezende - O lago dos cisnes infantil


“Nas pontas das tuas sandálias, fazes magia.” Foi isso que o meu pai me disse no dia em que me levou a ver o mar.
Saímos de manhãzinha, “Onde vamos?”, “É surpresa!”, sorriu ele.
Fomos na sua velha carrinha que já fazia alguns barulhos estranhos, mas que nunca o tinha deixado apeado, segundo ele repetia sempre que saía com ela.
Começámos a sair da nossa cidade, a deixar para trás os deveres, a escola, as aulas de ballet. Essas não costumam ser dever, apesar de a professora ser muito exigente, acho que nunca terminou uma aula sem a frase “na próxima vez dançarão melhor!”, Na altura não entendia, porquê sempre mais, se já me divertia tanto com o que eu sabia fazer!
À medida que cresci, entendi que ela tentava ensinar-nos o que aprendera por ela mesma, que o Mundo nos pede sempre mais, e que nunca pára para que atemos as sandálias. Enquanto há música, devemos dançar, não perder o ritmo. E que a música nos pede sempre mais, mais emoção, mais entrega, mais de mim. E que quanto mais eu lhe der, mais ela me dará, mais livre o meu corpo se sentirá, voando pelo palco, flutuando nas palmas do público.
Isso naquele dia eu ainda não sabia. Gostava dos gestos que a professora me ensinava, de dançar com as minhas amiguinhas, do sorriso do meu pai e da minha mãe quando eu vestia o meu vestidinho azul para ir para a aula.
E naquele dia também não entendi o que o meu pai me disse, lá naquele lugar encantado a que me levou. Já tinha lido sobre o mar, e até já o tinha visto na TV, mas nada era igual a tudo isso, antes de o ver, ali à minha frente, ver como fazia música, na dança das ondas com a areia.
“As ondas são bailarinas tão lindas, papá!” disse, enquanto corria para me juntar a elas.
“Também tu, pequeno cisne, também tu és uma bailarina linda! E nas pontas das tuas sandálias, fazes magia.”


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Os "Causos" Do Zé Mané Em:A PEQUENA BAILARINA por Danka Maia

Arte: Joe Chicure
Litte Ballerine


Para o nosso desafio do quadro "Pequena Bailarina" trouxe o Zé para para tirar de algo que faça um sentido maior em sua vida. Mas é lógico que a coisa desandou...
Bora ver no que isso deu?


Os "Causos" Do Zé Mané Em:A PEQUENA BAILARINA 

Que todos possam sorrir!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

O sonho é a forma do teu amor...

Algo me inunda
incendeia
quero gritar
desemboco no nada...

Vá silêncio
leva-me!
Ajusta-me á forma
do meu corpo frio
talvez seja breve
o silêncio
o vazio...

O sonho é a forma
do caminho para o amor
mas sem ti
tudo é deserto
silêncio
dor...

Manuel Marques (Arroz)

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Vínculo Axioma



Achaste-me como se fosse
Frondosa árvore
Onde podias beber a sombra
Em dias de calor.
Mas meu amor não nasceu árvore feita
Será primeiro semente
Crescerá, se for envolto
Em manto fértil
Se lhe deres de beber
Água fresca.
E se depois de romper o solo
A luz não lhe bloqueares
Poderão os galhos crescer
Serão braços para te abraçar

Com o soar do vento
Meu perfume a te envolver
Purificarei suas entranhas
Meus frutos te saciarás
Não importa a distância
Sei que me vê
Vê minhas folhas a dançar no vento
Indo até você
Sinto que me senti
Então por que andas no sol?
Não se preocupe
Não irei enterrar seu coração
Mesmo se este fosse meu intuito,
Como eu poderia viver
Pois, parte de mim está em você
Juntos somos um axioma.


Kizy Lee e Isa Lisboa

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Ave, Alma e Ninho

Foto: www.birdsasart.com

Ave, Alma e Ninho

Não voes tão distante
linda ave migratória
É tempo de sorrir
está próxima a vitória

Contemple em teu olhar
nesse vôo sem despedida
a saudade em minh'alma
é profunda e dolorida

Mesmo ela sangrando
em momentos de sua vida
Dividiu seu tosco ninho
prá poder te dar guarida

Em pouquíssimas migalhas
a refeição foi repartida
Por ela que te adora
e vai te amar por toda vida

Na arte dos encontros
que se encontram pela vida
Não pense em desencontros
que te abram uma ferida

Pois a humilde alma
que te deu tanto carinho
Aguarda o teu retorno
prá criar seu próprio ninho

Men@
®

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Cometa Sem Juízo ?



Arte: Joe Chicure
Litte Ballerine
                                                       
                                                                       



Ao longe um cometa risca o céu
Juro, sorri para mim.

Onde vai com tanta pressa?
Ora Menino...
inda chove dentro d'alma dela
Quer parar de bancar o Sem Juízo.

Um relógio soou 15 vezes
a festa por enquanto aqui na Terra acabou
lá no alto é claro, serenata de saudade

Por segundos volto a ser criança bailarina
que dança ao som da saudade de um grande amigo espiritual
Sonhar é utopia?
Por cima do mar
voltarão a se encontrar.

As estrelas riscarão o luar
e o sentimento  irá desaguar
em um sorriso que vai compactuar
com o verbo amar.

Claudiane Ferreira



Um minuto
de homenagem ao co-criador do Tubo de Ensaio( Claudemir, o Mena) e a nossa anfitriã Dulce Morais que tem muito a agradecer por esse menino, ter feito morada em seu ser.

Convido-os a visitarem seu cantinho http://meninosemjuizoemversos.blogspot.com/







  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

A Aula dos Gestos

Arte: Joe Chicurel
Little Ballerina

A Aula dos Gestos

O gesto é ainda hesitante. O olhar focado em cada pormenor ajuda a mente a realizar a tarefa necessária. Primeiro o lado esquerdo; uma volta, pois outra: um laço. O lado direito, em seguida, e o mesmo ritual repetido. Os dedos de criança já têm sede de saber de cor cada nó, de poder fazer sem olhar cada movimento que leva ao resultado que procura cada dia ao preparar-se para o momento onde tudo se esquece menos a concentração em cada gesto a realizar.

Os acordos do piano já ecoam pela ampla sala e cada aluna dedica os últimos instantes a mirar-se nos vastos espelhos até que a professora pigarreia e dá as instruções que vão criar ordem entre as alunas. Quase sem uma palavra, mostra o exemplo e indica os movimentos que devem desenhar no ar. A harmonia que se respira então no espaço é quase palpável. 

Um Allongé, seguido por um Arabesque e já o ritmo preenche os gestos. A graça dos membros infantis preenche o espaço. Uma mão na barra, a menina concentra-se sem olhar o seu reflexo. Um Plié, seguido por uma Pointe e já nada mais existe além do instante presente. Uma correção do movimento do braço pela mão suave da adulta, uma anuência silenciosa da criança, e a coreografia se constrói, ao mesmo tempo que a mente cresce. 

O sonho inicia-se então, num devaneio só dela conhecido. Já o palco imaginado está sob os seus pés. Já sente a apreensão dos grandes quando a música se inicia. O medo de esquecer um passo junta-se àquele permanente de não saber o suficiente para realizar a atuação que lhe incumbe. E em seguida, já nada sente além das notas. Só o ritmo a preenche e cada gesto tantas vezes repetido produz na plateia como um murmúrio suspenso. Cada um esquece a técnica para preencher o peito e o olhar da elegância da execução da peça. 



Já tudo desvanece; o sonho, a música, a magia. Resta apenas uma menina que preenche o espaço de uma aula de dança com elegância e harmonia. 

Dulce Morais

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Cabe a Mim

Olá, meus amigos, tudo bem? Peço-vos perdão pela minha ausência no Tubo de Ensaio - Laboratório das Artes... agora, voltei e trago-vos esse soneto... acho que tem um conteúdo reflexivo: um amor não correspondido e um homem "cego" perdoa sua amada. Fiz na sala de aula, enquanto estava sozinho. :D


Cabe a mim preencher o vazio,
Do teu coração imenso e frio,
Cabe a mim o aquecer,
Cabe a mim cuidar de você.

Cabe a mim ver-te me traindo,
Por dentro chorando, por fora sorrindo.
Cabe a mim lhe perdoar,
As vezes que foi outro homem amar.

Cabe a mim a dor infinda,
Dessa estrada comprida,
Que não acaba mais.

Cabe a mim dar-te a paz,
E viver com o ódio;
Cabe a você, me olhar como te olho.

Simon-Poeta

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Decisão



Imagem Google


Nas margens de mim- Leoni

"Difícil é ser tão simples"


Simples - este adjetivo pode ser usado para qualificar uma pessoa, como: singela, inocente, ingênua, modesta, humilde e ignorante.



Decisão


Difícil é ter um olhar inocente para a maioria dos políticos...
                               
Não é difícil  sentir e ignorar a dor alheia, fingindo que não faz parte de nós.

Difícil é ter que sobreviver com um salário tão modesto!

Não é difícil ficar em cima do muro.

Difícil é embaralhar as letras do nosso EU.

UÉ! não é difícil ser feliz, difícil é compreender que estamos aqui para evoluir. SIMPLES ASSIM!?

Claudiane Ferreira
                                       


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

As pessoas não mudam!

Essa é, a meu ver, uma das minhas melhores crônicas, por despertar uma saudável discussão.
JGCosta

Clique na imagem para ver de onde ela veio.




Quantas vezes você ouviu alguém dizendo que gostaria que certa pessoa mudasse um pouco o seu jeito de ser, melhorando em alguns aspectos? E com certeza envolvia um relacionamento, amizade, empresa, ou algo parecido, não estou certo?
De fato estamos todos propensos a querer “transformar” as pessoas naquilo em que elas não são e que infelizmente jamais serão, porque as pessoas não mudam, essa é minha opinião.
Fundamento isso pela minha longa experiência com pessoas de todos os tipos e por também já ter tentado dar uma “recauchutada” em alguns seres, o que obviamente não deu certo.
Mas agora tenho certeza que você deve estar pensando: você está enganado JG! Eu já vi muitas pessoas mudarem, inclusive eu mesmo mudei.
Mudou de que? De cara, de casa, de carro, de amor, escolha a opção desejada, pois reafirmo, você nem eu mudamos, mantemos aquela nossa essência que trazemos internamente e que levaremos até o final de nossa existência.
Mas então qual a explicação para algumas mudanças que são notórias em um cidadão?
Simples: as pessoas não mudam, mas suas atitudes sim! Essa é a diferença, pense um pouco...
Vamos supor que você seja uma pessoa quase na minha idade (está velho hein) por volta dos 45 anos, então se lembre de alguma atitude aparentemente negativa que você faria há uns bons 25 anos atrás, tipo ofender alguém no trânsito, não levar desaforo para casa, responder na lata o que querem ouvir ou não, entre outras tantas coisas. Pensou?
Agora hoje, como é que você reagiria às mesmas situações?
Se você me disser que vai agir da mesma forma, então eu estou certo, você não mudou nem um pouquinho, bingo!
Mas eu creio que, assim como eu, você pode  acabar agindo diferente, mesmo que por dentro você ainda queira descer o braço em alguém, soltar um impropério cabeludo, alguma coisa em você mudou sim, a atitude que você irá tomar certamente pode ser diferente, mais branda, mais humana.
Entendeu o que eu quis dizer?
Você continua sendo a mesmíssima pessoa, com qualidades e defeitos, sentimentos à flor da pele, mas suas atitudes estão definitivamente alteradas.
E agora quanto àquelas pessoas que aparentemente passam a vida inteira fazendo “mal” a outros seres, cometendo crimes e contravenções mesmo, de todos os tipos, será que por mais que a sociedade e familiares tentem eles nunca vão mudar de atitudes?
Aí está a questão chave, pois para se mudar a atitude de alguém é preciso que se invista nesse ser, de coração, com muito amor, exacerbado amor... E mesmo assim corresse o risco de nada conseguir.
Por quê?
Simples também!
A mudança de atitude é algo que parte de dentro de nós mesmos, despertada geralmente por uma grande felicidade ou tristeza, então só cabe a nós mesmos decidir em que direção iremos seguir e o que de importante transportaremos acoplados à nossa essência.
Mas não fique triste se alguém não é exatamente, ou parcialmente, ou nada, nadinha mesmo, da maneira que você gostaria que ela fosse, pois cada ser vivente é especial justamente por isso, por ser único, com seus lados positivos e negativos, então cabe a você tirar desse ser somente suas melhores atitudes.
Difícil?
Não!
Contamine-o com suas boas atitudes.

Assim como a dor leva ao rancor, o abraço leva ao amor!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Publicações populares