Powered by Blogger.
RSS

Dona de Mim


Eu já fui deusa,
Já fui louca,
Andei sem roupa
na avenida
principal da cidade da vida.

Eu já sonhei,
E já vivi de verdade,
Desconfiei da minha vaidade,
E me entreguei a alguém que jamais me amou.

Eu já fui santa,
Hoje não mais sou,
Já fui pura,
Hoje sofro de amor,
Já beijei,
E ninguém me beijou.

Já fui tudo,
Nada fui,
Sou meu mundo,
Sempre fui
uma surda,
a procura de um amor.
a procura de um amor.

Hoje eu não sou perfeita,
Mas já fui eleita
a mulher mais linda
do país.

REFRÃO
Beijo,
Sua boca e o desejo,
Só aumenta.
Então beijo,
Sua boca,
E inventa me beijar também.
(BIS)

Já fui boa,
Hoje sou má pessoa,
Já fui pura,
Hoje sou obscura,
Não tem cura,
O que houve comigo,
Não amei e amar não consigo.
(BIS)

De santa a pecadora,
De pura a malfeitora,
De peste a coisa boa,
Do leste ao oeste à toa.

Dividida,
Por um pouco de vida,
Mortal,
Já vivi, nada mal,
Milagre,
O que houve comigo,
Não cabe na razão do mundo...
Na razão do mundo...
Na razão do mundo.
Sou dona do meu próprio umbigo.

Simon-Poeta

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

5 comments:

Toninho said...

Bonita construção/inspiração em coleta de fragmentos de tantos que somos.

Dulce Morais said...

Uma construção que não nos deixa indiferentes, contradições que ganham sentido e um ritmo incomparável! Parabéns, Simon! :)

Isa Lisboa said...

Gostaria de ouvir esta sua música! :)
Abraço

B. said...

Lembrou muito a mim mesma. As vezes é preciso quebrar nossos próprios padrões e nos transformar, à procura de novos horizontes.

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Na razão do mundo. Sou dona do meu próprio umbigo"

Uma música que vibra liberdade e coragem.

Post a Comment

Publicações populares