Powered by Blogger.
RSS

Das lendas: Amurada

Sentada na amurada
Espero-te
A cada minuto
Cai mais um pouco de sal
Descola-se lentamente
Da minha pele
Que se habitua
Ao ar desta terra.
Olho a lua
E recordo as promessas.
Espero-te,
Rodeia-me o silêncio daqui
Inevitável ouvir
O marulhar
O eco das profundezas
Sussurra-me; na escuridão
Fecho os olhos
E lembro-me de casa
De como o meu corpo
Rápido
Viajava livremente
Assim me trouxe a ti
Lembro-me de dançar
E lembro-me de cantar
E de como me faltava sempre
Aquela nota
Que eu não sabia qual era.
E agora que a encontrei
Saberei ainda mover-me?
Como me equilibrar nestes pés?
Troco o passo
Mas agora é da terra
Que eu sou.
Quando a música é certa
Sempre aprendemos a dançar…
Espero-te…
Sentada na amurada
Oiço o mar
E sempre o hei-de ouvir
Bem cá dentro.
Mas irei.
Porque agora sou da terra.

- Quem sou eu? -


#Das lendas

Arte: Floating in Colour

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

8 comments:

E.P. GHERAMER said...

Que 'coisa' mais linda de se ler e sentir...

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

"Troco o passo
Mas agora é da terra
Que eu sou.
Quando a música é certa
Sempre aprendemos a dançar…

Iara? Sereia? Acertei?

Isa Lisboa said...

Muito obrigada, EP! Comentário lindo de se ler! :)

Isa Lisboa said...

Clau, o poema foi inspirado numa sereia, sim! :) Não foi na Iara, que confesso não conhecia... Graças ao seu comentário, fiquei conhecendo essa lenda, que achei interessante! Os mistérios que o rio Amazonas encerra são mesmo infindáveis, não é? :)

Jun said...

Nossa, to acompanhando o "das lendas" ta muito bom. Achei os poemas e o tema fantásticos.

Isa Lisboa said...

:) Fico feliz que esteja gostando! Tenho mais dois, a publicar :)
Um abraço

Dulce Morais said...

Isa, esta eu não adivinhei...
Conheço algumas lendas de sereias, mas não muitas e admito que teria respondido a mesma coisa que a Clau...
Porém, mesmo se não adivinhei quem era, senti e guardo estes versos :
"Lembro-me de dançar
E lembro-me de cantar
E de como me faltava sempre
Aquela nota
Que eu não sabia qual era."
Adorei o teu poema!
Beijinhos!

Isa Lisboa said...

Obrigada, Dulce. Talvez eu não tenha deixado boas pistas para a personagem que me inspirou, mas se mesmo assim gostaste do poema, fico feliz por isso!
Beijinhos

Post a Comment

Publicações populares