Powered by Blogger.
RSS

Liz e o Mito da Prosopopeia.






Liz era uma garota diferente, mirrada e franzina, possuía cabelos acastanhados, quase que vermelho claro, talvez dai sua mãe quis dar lhe o nome de flor.  Seus  olhos eram sua marca registrada, olhos felinos, puxados e angulosos. A cor dos olhos tinha mais fases que a própria lua, ora verde, ora castanho claro, ora ambos,  diziam ser da cor do mel, outras vezes de amêndoa. 

Mas não era só de aparências que vivia Liz.

Liz sempre teve atitude. Brincava de boneca, mas preferia jogar bola e handebol. Aos 12 anos bateu o pé no chão, esperneou e fez cara feia até entrar na aula de Karate, e depois saxofone, e depois trompete! Sempre teve um brilho no olhar e uma alegria, isso até os 15 anos, quando as línguas felinas, afiadas como navalha, diziam que gostava mais de meninas que de meninos.

Mas, bonita como era, se envolveu com um menino da rua de baixo. Por pouco tempo. Um pouquinho... Só o tempo de saber o que era amor e o significado da dor, sem cortes e sem sangue. 

Se isolou. 
Sumiu o sorriso.
Sumiu o brilho nos olhos. 

Só os encontrava ao som do Sax. 

De noite, quando passavam por sua janela, se ouvia o som desse Saxofone. E ai, quando o Dó encontrava Lá, diziam que dava pra ver as árvores dançar, a lua procurar o mar para namorar e até  sol aparecer de fininho para olhar. Que dava pra sentir o vento a bailar e a chuva cantar.


E há quem diga, que se você sentar no solado, da pra pra ouvir Liz conversar com o som e brincar de pique pega com a melodia.


Mas enquanto as coisas tornavam-se pessoas,  lá do outro lado da janela, onde o som emanava... . A flor de lis florescia.


E esse, senhores, é o Mito da Prosopopeia.




  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comments:

Kizy Lee said...

E as coisas trazem o seu encanto, nos fazendo refletir sobre o que realmente somos. Encantador, mas uma vez se faz grande.

Com carinho

Dulce Morais said...

Ah, mas que música! E que conto tão agradável de ler ao som deste saxofone!
Hailes, o seu talento para nos narrar histórias toca algo bem fundo... lá no peito...
Adorei!
Obrigada!

Isa Lisboa said...

Que o som do Sax também a leve a curar as cicatrizes..:!

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Que cada um de nós possamos encontrar a força da intuição que nos faça florescer.

R. H cada vez mais encantada com suas postagens! Parabéns!

Post a Comment

Publicações populares