Powered by Blogger.
RSS

Revoada

                                                   
                                                              Art   Keith Haring


Madrugada. Silêncio dentro de casa. Revoada em meu cérebro
Inconscientemente te chamo
Como resposta um barulhar do vento
Imploro: Vento, ventania me leve...
Em principio cessou
Mas foi só para ouvir melhor o meu coração.
Levanto. Xícara com leite.
Travesseiro. Tic-tac , tic-tac . Sono fugiu.


Levanto. Lápis. Papel
Interrogações pulam, escorrem tem sabor de saudade.
Que pensamentos antecederam seu sono, anjo meu?
Qual oração te acalentou?
Vento retorna
Vem mansinho. Como se tivesse caminhando. Gradativamente aumenta os passos .
Me calo para ouvir
Aprendi que um som sempre avisa que há uma música.
Não estou errada, pois a melodia em mim se fez presente.
A música adentrou-me em  formato de um título
“ Longe é um Lugar que não existe”
À medida que avivava passagens desse livro que li em minha adolescência , uma brisa soprou-me uma mensagem:

“ E a paz de Deus domine em vossos corações” 1
Claudiane Ferreira

( 1 ) Paulo - ( Colossenses, 3 :15.)

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

6 comments:

Cristiane Vilarinho said...

Simplesmente maravilhoso minha amiga! Do silêncio, da saudade eis que surge sua sensibilidade e a beleza de seus versos! Parabéns, Claudiane Ferreira de Souza!

E.P. GHERAMER said...

Muito lindo, Claudiane.
Parabéns e um grande abraço!

Kizy Lee said...

Clau querida, belo poema agraciado pela shekinah de Deus.
Com carinho

Gabriel Arcanjo said...

Poesia como relato de vida, isto é muito interessante. A simplicidade é sempre o melhor caminho. Parabéns. Um abraço.

Maristela Ormond said...

Que lindo Claudiane! Sempre mexendo com meu coração...

Carlos NNeves said...

"Me calo para ouvir"... para ler, contemplar a poesia que vem dessas palavras, Claudiane.

Post a Comment

Publicações populares