Powered by Blogger.
RSS

Estou tão longe de mim...

Imagem da Web
Estou tão longe de mim que não consigo me enxergar como sou,
E a minha imagem (de mim) fica sem foco, difusa, embaçada,
E o que vejo deste eu de mim não é o mesmo eu que sinto que sou.
Estou trancado num egoísmo de mim para comigo.
Estou trancado dentro do meu eu,
Irritado, sombrio, taciturno,
Sem saída.
Qualquer tentativa de fugir de dentro do que sou,
Hoje, me faz ter medo.
Um medo que é de liberdade de ser o que nunca
Consegui ser: eu mesmo dentro de mim,
Um só apenas.
Ilusão, apenas, de o conseguir
Tentativas, apenas, de tentar.
Não ser. Eis o que sou.
Quando me convenço de estar só,
Alguma coisa se remexe em mim,
Desperta o meu sono de estar dormindo
Na minha vida,
Sacode de novo as minhas emoções já
Tão remexidas, já
Tão vividas nesse sonho onde não sou
Eu que sonho essa minha vida,
Mas, o que quer fugir,
O que quer escapar de viver a vida,
Para existir em vida.
Tudo são só palavras.
Tudo são só sentimentos de querer.
Mas não o querer somente,
Sozinho,
Essa coisa é só, apenas, isso.
É o que escrevo.
É o que penso para escrever.
Não mais que, apenas, isso.
Somente isso.
Sinto vontade de desvencilhar-me de mim,
De me desvestir desse fato vestido do que sou,
De arrancar a máscara, de um eu que não me cabe,
Grudada em meu rosto, grudada no meu corpo inteiro
Como uma outra pele de mim, grudada na minh'alma
Como uma outra alma de mim.
Quero me esquecer e não consigo.
Me levo sempre junto com o que já fui de mim,
Num tempo que era meu e eu era outro.


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comments:

Dulce Morais said...

Intensamente profundo, Ronado...
"Sinto vontade de desvencilhar-me de mim,
De me desvestir desse fato vestido do que sou"
Maravilhosamente expresso!
Abraço!

Isa Lisboa said...

Por vezes precisamos ir para longe para nos encontrarmos...

Ronaldo Savazoni said...

Oi Dulce, novamente quero expressar meu contentamento com sua visita e leitura do meu texto, bem como pelo seu entendimento. Abraços

Ronaldo Savazoni said...

Isa, como tem passado? É bem verdade, mas quando esse "longe" está tão perto de nós, pois que é o nosso interior que almejamos entender e exteriorizar, essa busca e esse encontro tornam-se a essência de nosso existir. Obrigado viu?, pelo seu tempo e apreciação...Abraços

Post a Comment

Publicações populares