Powered by Blogger.
RSS

Desafio - Ilustrar o Poema Preferido da Amiga Danka Maia




O poema preferido de Danka Maia, é "Fala-nos do amor" de Khalil Gibran.



O Amor

E alguém disse:
Fala-nos do Amor:

- Quando o amor vos fizer sinal, segui-o;
ainda que os seus caminhos sejam duros e difíceis.
E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos;
ainda que a espada escondida na sua plumagem
vos possa ferir.

E quando vos falar, acreditai nele;
apesar de a sua voz
poder quebrar os vossos sonhos
como o vento norte ao sacudir os jardins.

Porque assim como o vosso amor
vos engrandece, também deve crucificar-vos
E assim como se eleva à vossa altura
e acaricia os ramos mais frágeis
que tremem ao sol,
também penetrará até às raízes
sacudindo o seu apego à terra.

Como braçadas de trigo vos leva.
Malha-vos até ficardes nus.
Passa-vos pelo crivo
para vos livrar do joio.
Mói-vos até à brancura.
Amassa-vos até ficardes maleáveis.

Então entrega-vos ao seu fogo,
para poderdes ser
o pão sagrado no festim de Deus.

Tudo isto vos fará o amor,
para poderdes conhecer os segredos
do vosso coração,
e por este conhecimento vos tornardes
o coração da Vida.

Mas, se no vosso medo,
buscais apenas a paz do amor,
o prazer do amor,
então mais vale cobrir a nudez
e sair do campo do amor,
a caminho do mundo sem estações,
onde podereis rir,
mas nunca todos os vossos risos,
e chorar,
mas nunca todas as vossas lágrimas.

O amor só dá de si mesmo,
e só recebe de si mesmo.

O amor não possui
nem quer ser possuído.

Porque o amor basta ao amor.

E não penseis
que podeis guiar o curso do amor;
porque o amor, se vos escolher,
marcará ele o vosso curso.

O amor não tem outro desejo
senão consumar-se.

Mas se amarem e tiverem desejos,
deverão se estes:
Fundir-se e ser um regato corrente
a cantar a sua melodia à noite.

Conhecer a dor da excessiva ternura.
Ser ferido pela própria inteligência do amor,
e sangrar de bom grado e alegremente.

Acordar de manhã com o coração cheio
e agradecer outro dia de amor.

Descansar ao meio dia
e meditar no êxtase do amor.

Voltar a casa ao crepúsculo
e adormecer tendo no coração
uma prece pelo bem amado,
e na boca, um canto de louvor.







  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comments:

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Marcilane, posso sentir daqui a energia do amor que colocaste na ilustração que oferece a nossa amiga Danka.

"Porque o amor basta ao amor."

Obrigada querida!

Danka , não conhecia esse do Gilbran , muito interessante!

Nesse momento me fala muito esses versos
"Mas, se no vosso medo,
buscais apenas a paz do amor,
o prazer do amor,
então mais vale cobrir a nudez
e sair do campo do amor, "

Parabéns a ambas.
Beijos

Danka Maia said...

Redescobrir Gibran nas suas nuances foi como começar a despertar de um longo inverno.
Obrigada amada!
Beijocas Marcilane!

Dulce Morais said...

Danka,
Destes versos do amor verdadeiro, aquele que não sofre por excesso de "pieguisse", aquele que existe e preenche o ser, a alma, o coração inteiros sem restrição, penso jamais ter visto mais bela descrição e mais intensa canção.
Obrigada por trazê-lo até nós!

Marcilane,
Vale a pena passar o prazo (por algumas horas apenas) para nos oferecer tão sensível e doce ilustração!
Parabéns pelo seu delicioso olhar :)

Abraço a ambas!

Marcilane Santos said...

Fico feliz por terem gostado, meninas! Ele é tão lindo que quase não soube como ilustrar. E confesso que achei a ilustração até bem simples em relação à grandeza que ela tem. Mas dizem que a beleza está nas coisas mais simples, não é mesmo? E isto foi o que consegui expressar. Beijo grande!

Post a Comment

Publicações populares