Powered by Blogger.
RSS

DOMINGO DE PÁSCOA


Imagem - Evolução



      - Lá na rua tem um homem caído na calçada - um senhor falou para um menino que estava ao seu lado.
      - Eu vi. Viu a ferida na perna dele? – Falou o menino, fazendo uma cara de nojo.
      - Estava pensando em carrega-lo no colo até o hospital... - o homem falou para o menino.
      - Que nojo... E depois pegar uma doença?! – falou o menino.
    - Ah, coitado! Jesus disse que a gente deve ajudar os pobres e aos que sofrem... - falou uma mulher que estava perto.
     - Ele está bêbado... – disse o menino.
    - Ah! Se estiver bêbado, não... Então é um sem vergonha. Só se estivesse doente – falou a mulher.
   Outro homem, que ouvia a conversa, estava calado para não estragar o domingo. Mas, se falasse o que estava pensando diria:
    - A ferida dele não está no corpo, está na alma... Não há remédio para a dor que está na alma. Só o álcool o anestesia, fazendo-o esquecer de que também já fora um filho de Deus... De um Deus que ele, hoje, graças às pessoas, ele nem mais vê... e nem sente.

   Aos poucos, o grupo que se formara ao redor do homem caído, foi se dispersando, a começar pelos que mais pensavam e menos falavam, até àquelas que mais falavam e nada faziam.

     E o homem ficou lá sozinho, como antes estava – bêbado.



EP. Gheramer


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comments:

Dulce Morais said...

Ah, como o preconceito fere mais que as balas...
É preciso humildade para reconhecer que, se hão houvesse o apoio, ou a força que recebida, noutras circunstâncias, no lugar do homem caído estaríamos também...
Muito obrigada por este conto que nos traz imensa reflexão.
Uma Páscoa Feliz, EP!

PS: Adorei o vídeo!

Sandro Panografia said...

Aconteceu bem em frente minha casa E.P Gheramer . Chamei o SAMU e o médico recusou atender o senhor caído por ter bebido, enquanto os pre-julgamentos eram feitos pelas pessoas que o cercavam. Fui ameaçado ser processado por questionar quais as regras do não atendimento : bêbados, prostitutas, negros, gays... etc. Levei-o no meu carro até o hospital municipal e a história continuou. Depois de 2 horas de muita insistência,após o atendimento, às 3 horas da manhã pude ir embora para casa. Ele precisava apenas de atendimento médico e um pouquinho de calor humano ! Belíssima reflexão meu amigo... e tenha uma Feliz Páscoa !!

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

E.P, que crônica maravilhosaaaaaaaaaaa .

"De um Deus que ele, hoje, graças às pessoas, ele nem mais vê... e nem sente."

O amor ao próximo deve independer das razões que julgamos ser lógicas.

Essa crônica me faz ir ...

Outro dia precisei de uma ajuda e gritei S.O.S .O Sandro, mesmo atarefado cuidando de um amigo que está muito doente mostrou mais uma vez o valor que tem agregado dentro de si. A Dulce também, pois quando comentei estar demorando pra responder porque estava resolvendo um probleminha, na mesma hora ofereceu-me a ajuda .

Com toda certeza sei se tivesse pedido ajuda a você EP, também não mediria forças para me ajudar. Como já fez algum tempo atrás.

Conclusão: Ação como por exemplo a de vocês coloca o ser humano face a face com Deus.

E.P, Feliz Páscoa para você e toda a sua família



"Em vez de reza uma praga de alguém"

E.P. GHERAMER said...

Ah! Como fico feliz com as palavras de vocês, meus queridos amigos!
Sim, "o preconceito fere mais...", Dulce;
Que bom que você estava lá, Sandro!
Ah! Os amigos, Claudiane... Como são importantes e queridos.
Um enorme abraço a todos vocês!

Post a Comment

Publicações populares