Powered by Blogger.
RSS

O amor começa pela gente e se estende...


                                                                Art: Cildo Meireles
                                  Falsa grade de metal atravessada por placa de vidro - 1977
                                 



Por que meu "Eu "
gira 
grita
transita agitadiço?

Subir, descer cordilheira
cansa meu coração 
... pés fortalecidos miram  clareira

Preciso  respirar
              expirar todos os meus avessos...
correr solto noite adentro

Amanhecer  no monte das Oliveiras
ouvindo o sussurrar das folhas
...amor puro que se estende


♪ só quem ama escuta o que as palavras não falam
Só quem ama entende o que as rosas exalam ♪

Claudiane Ferreira

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

6 comments:

Dulce Morais said...

Clau,
Os avessos, os direitos, as costuras ou as colagens, não importa o que a vida nos oferece. Os remendos também constroem uma vida...
O importante é o ar que continua a encher o nosso ser, os espaços que nos acordamos a nós próprios e os elos, que longe de nos prender, libertam-nos! :)
Adorei!
Beijinhos grandes!

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

Dulce. os espaços quando acordados em minha opinião a princípio desequilibra.
Obrigada, adorei seu comentário.

E.P. GHERAMER said...

Belíssimo, Claudiane!
À primeira vista, não reparei no conteúdo intenso deste texto...
Parabéns, Claudiane!

mochiaro said...

Seu EU medita e pede explicações
Quando dizes;
♪ só quem ama escuta o que as palavras não falam Só quem ama entende o que as rosas exalam ♪ ,
rompe a bonita falsa grade e a definição se aplica
Muito bom, parabéns
um grande abraço

Carlos NNeves said...

Claudiane,
No monte das oliveiras há um jardim. E o jardineiro é também agricultor, que no suor e agonia, depois de um beijo, sai para plantar a vida, sua vontade eterna feita de amor.
Concordo com o EP. Há no seu texto algo assim que remete a uma alegoria única e intensa.

Belíssimo texto.
Grande abraço!

Claudiane Ferreira de Souza da Silva said...

E.P, Mochiaro e Carlos, como bem disse o John Keats , "um poema precisa ser compreendido através dos sentidos". Obrigada, por serem seres que sabem usá-los.

Post a Comment

Publicações populares