Powered by Blogger.
RSS

O PROJETO -Capítulo 10





- Como dizia anteriormente, muitas coisas eu tenho para vos dizer e parte delas teve seu início antes dos tempos dos séculos e para as quais ainda não estais preparados para ouvir, porque tendes o entendimento cauterizado pela mentira deste mundo em que viveis. Tornai-vos impenetráveis à verdade. O conhecimento que tendes e sobre o qual construístes todo o edifício do vosso Saber é ilusório. Eu vos direi uma verdade e não tenho dúvidas de que a rejeitareis imediatamente, com toda a força do vosso entendimento, pois, estais presos na memória, nos costumes e na cultura de tal forma que é impossível esquecer, superar ou deixar de lado vossas necessidades de ter certezas inquestionáveis e permitirem-se ao questionamento. Eu vos digo que a Terra não é redonda, ela é plana.
E como Quiriat previra, podia-se sentir a presença da incredulidade no silêncio que pairou naquele exato momento, naquela pequena sala onde estavam reunidos.
- Vistes como vêm às vossas mentes inúmeras “provas” científicas que contestam esta afirmação? Pois bem, imaginai se eu vos falasse de outras semelhantes a esta? Mas, não vos deixarei sem nada vos contar. Sabeis por que estais assim? Pois vou dizer-lhes a causa. É por haverdes construído o mundo sobre um falso conhecimento, sobre uma mentira.
Quando Quiriat percebeu que todos queriam se manifestar, ele pediu que não o fizessem. Que o deixassem falar sem ser interrompido.
- Seres vindos de um lugar ao qual chamais de céus, misturaram-se aos seres humanos que aqui já existiam e dessa mistura resultou seres diferentes dos humanos, porque tiveram seus códigos genéticos alterados. E eles se multiplicaram e desde então, povoaram a terra. A perfeição original foi contaminada e em seu lugar produziu o engano e a mentira. Porém, alguns poucos foram guardados para o grande dia em que a humanidade será refeita e a perfeição original restaurada. Mas, antes seria necessário que muitas coisas acontecessem e outras ainda viessem a acontecer. Devem estar se perguntando como eu sei disso. Eu sei por que vim do mesmo lugar que eles vieram, mas, fui resguardado para não me deixar contaminar. Não jurei sobre o livro de suas leis, que mandava disseminar a discórdia e o empobrecimento da espécie humana, originalmente perfeita.
- Mas... – Alves ameaçou falar.
- Não, não... Eu pedi para não ser interrompido e há uma razão para isso. Não peço que acreditem em mim, pois, não poderiam mesmo que quisessem. Peço apenas que me escutem até o final – disse Quiriat. Pois bem, como todas as civilizações pré-adâmicas, a atual também está cega pela mentira deste mundo ilusório em que vive. Mas, tenham paciência e conservem a esperança, pois, aproxima-se a hora em que despertareis e, quando isso acontecer, conhecereis a verdade e terão a oportunidade de decidirem se querem ser libertados. E não fiqueis admirados com o que vos falo, pois, esta civilização e todas as pré-adâmicas tiveram seus genomas modificados. Vocês não são os primeiros. E, por enquanto, somente para facilitar vosso entendimento, podem pensar que isto é o que vocês chamam de “pecado original”. Estes seres angelicais são portadores do mal e o seu líder, o maior de todos, pois é o pai da mentira, atravessou o muro daquilo que conhecem como Jardim do Éden e relacionou-se sexualmente com o ser humano e desta forma introduziu o pecado no mundo, figurado pela serpente ofertando a maçã para que comessem. Assim, o “comer a maçã e dá-la para ser comida pelo outro”, possibilitou que o seu código genético maligno, através do ato sexual, fosse transmitido aos filhos e filhas, passando de geração em geração. A expulsão do Éden foi um ato espiritual, uma tomada de consciência dos prazeres que advém da prática de atos egoístas e, portanto, são maus, porque são atos que não levam em conta o que podem causar ao outro ser humano, que é seu semelhante. Assim, a maldade entrou no mundo. A princípio, originou seres disformes, verdadeiros monstros, se comparados com os seres humanos. Mas, a própria natureza tratou de eliminá-los através de sangrentas lutas travadas com os humanos remanescentes e pelos dilúvios que sobrevieram à terra. Porém, mesmo após tais catástrofes globais, alguns desses seres continuaram a existir, com o poder que lhe fora dado por seu príncipe, assumindo as mais diferentes formas e, principalmente, a forma humana. Isso permitiu que as batalhas cessassem a nível carnal, mas, continuaram espiritualmente. Cônscios de seus propósitos, não mudaram sua intenção, mas executariam o empreendimento originalmente projetado e juraram todos juntos. Assim, em virtude da fragilidade de todos os poderes terrenos, acreditavam que seu poder seria mais duradouro do que qualquer outro, porque seria invencível, pois estará tão enraizado que o poder humano não poderá destruir. Dizem em sua arrogância: “a Violência deve ser um princípio; nossa palavra de ordem é a Força e a Hipocrisia, uma regra para todo aquele que não queira nos entregar sua coroa.”. Seus agentes, recrutados dentre os homens ávidos pela cobiça do poder, infiltraram-se nos Governos, ocupando postos de real influência e prestígio, permitindo-lhes dirigir o rumo das nações. Como tudo teve sua origem no pai da mentira, tudo foi construído sobre esse alicerce, de forma que aquilo que se vê, não foi feito do que parece ser. Foi assim que teve início a Elite, este grupo do mal composto de seres híbridos criados desde a infância, para governar de forma autocrática o mundo.  E sempre, desde as civilizações pré-adâmicas até a atual, criaram situações sociais malignas para subordinar as nações ao seu poder que residia na riqueza, na posse do ouro. Já tinham a vacina, agora era necessário espalhar a doença. Que situações sociais são estas? São aquelas criadas por criminosos que acreditam estar trabalhando em prol de alguma ideia política, utilizando-se de meios violentos, mas que, na verdade, não são motivados por tal ideia. Eles desculpam seus atos sobre esta base. Eles falam em termos de “restaurar o dinheiro ao povo”, quando furtam os “bancos capitalistas”. Mas eles consideram “povo” somente a eles mesmos. Também existem os verdadeiros terroristas políticos, cujos atos de violência têm por objetivo debilitar as instituições governamentais existentes. Esses usam o dinheiro, adquirido com seus atos, para fomentar outras atividades. E não faltam os terroristas religiosos, que atuam contra governos ou instituições que consideram hostis à sua causa. Infelizmente, há livros sagrados que transpiram violência, não sendo difícil encontrar neles textos de prova que toleram o terrorismo com todos os crimes dai resultantes. Que Israel adquiriu o seu território mediante atos de terror fica claro nos próprios registros bíblicos, embora isso pareça chocante para muitos. Muitos cristãos fundamentalistas não sentem dificuldade em adorar a um Deus guerreiro; mas, há muitos cristãos nos dias atuais, que simplesmente consideram este um conceito “primitivo” de Deus, que foi retido em vários pontos. Mas, quando falo contra esse conceito de Deus, estou apenas negando a validade desse conceito, e não desejo blasfemar o nome de Deus. É possível alguém rejeitar um conceito de Deus sem blasfemar-lhe o nome. Por outro lado, esses conceitos não aparecem somente na Bíblia. Também aparecem no Alcorão, e Maomé conseguiu impor-se mediante a espada desembainhada. Os árabes fundamentalistas ou ortodoxos também são assim. A moderna escalada terrorista reflete uma maneira doentia e impensada de tentar produzir a mudança social através de insensatos atos de violência, como destruição de bibliotecas e a matança praticada contra pessoas inocentes, como os turistas (que não podem ser confundidos com soldados), têm assinalado as ações terroristas. E assim, aquilo que os terroristas imaginam serem atos promotores de justiça, não passa de atos covardes. É evidente que o ódio sem motivos reais e mentes malignas está por trás desse tipo de atividade. O homicídio continuará sendo homicídio, sem importar se os homens o rotulem de qualquer outra coisa.
Aproveitando um breve intervalo de silêncio feito por Quiriat, todos quiseram falar, mas Alves falou mais alto e prevaleceu sua palavra.
- Agora mesmo, atos de terror irrompem por todo o mundo. Em cada um dos países afetados, a mídia se encarrega de exercer seu papel de informar à população dos acontecimentos, dando nomes aos responsáveis por tais atentados e assim as populações se revoltam e tremem diante dos horrores desses atos brutais e gritam todos pelas ruas “Quem nos salvará?!”. Se considerarmos como verdade o que nos falou, podemos ver o que acontece ao nosso redor com um novo olhar e que nos permite compreender tais atos brutais, pois, até então, uma muralha nos separava quanto ao entendimento das causas dos acontecimentos. E pudemos observar atentamente a situação em todo o mundo- disse Alves.
- E nos de países unidos por interesses comuns, curiosamente, elegem um só inimigo. É surpreendente como se alastrou este mal por toda a humanidade – disse Maria.
- E podemos notar que a situação não tardou para atingir níveis ideológicos. Para alguns líderes, a causa estava na liberdade excessiva dada ao povo nos últimos tempos, inclusive a liberdade religiosa. Não faltaram aqueles que diziam que a liberdade era irrealizável, porque a multidão não sabia usá-la de maneira justa e, quando dada ao povo, logo se transformava em quebra de regras e convenções sociais e logo surgiam desavenças entre as pessoas, que se transformavam em batalhas sociais e tudo era reduzido às cinzas - disse João.
- E realmente, fica difícil ser contrário àqueles conservadores que argumentam que os líderes saídos da massa, não conseguem dirigir um país sem confundir com seus interesses pessoais – falou Alves.
Neste momento Quiriat, percebeu que aquele era o momento de retomar a palavra e concluir o que começara.
- Peço que escutem o que eu tenho a dizer, mesmo que lhes pareça estranho. A Elite pode ver seu plano tornando-se realidade. Ela sempre levou em conta a covardia, a instabilidade e a inconstância da multidão, incapaz de dirigir a si mesma, pois, transforma a liberdade em barbárie, que é a anarquia em seu mais alto grau. E o tempo viera mostrar que estavam certos ao afirmarem que a força da multidão é cega e insensata. Era necessário que a massa fosse conduzida, pois, ela não passa de um elemento passivo. A atual situação mundial fora resultante de um trabalho que teve seu início, quando investiram na crença na covardia dos líderes saídos do povo, que nada entendiam da arte ou ciência da organização; da direção e da administração de nações ou Estados, quando se trata da aplicação desta arte aos negócios internos e externos de uma nação e, por isso, não podem pretender governar sem logo perder o poder. Assim, somente indivíduos preparados por eles, desde a infância, têm condições para exercer o poder, pois, são ensinados a conhecer a linguagem e a realidade políticas. Somente estes são capazes de governar. Esse conhecimento da fragilidade do ser humano permitiu a Elite prever o desenvolvimento da civilização. E assim, aquilo que florescera no coração do povo, isto é, a Liberdade e a Igualdade, agora somente existem em letras escritas no palavreado vago das Constituições e nas fachadas dos edifícios públicos. Quem me ouve, entenda – disse Quiriat, concluindo o que viera dizer.
- Mesmo considerando que tudo aconteceu assim, será que todos os homens sabem disso? E se soubessem, acreditariam? E se não, quem os convenceria? – Disse Alves, pensativo.
- Por outro lado - continuou Alves, depois de parecer ter pensado em algo que não percebera antes. Será que devemos levar a sério todas as palavras ditas aqui hoje? E por que digo isso? Vamos enumerar as ideias que foram aqui apresentadas. Em primeiro lugar Quiriat nos disse no início desta conversa, que a terra não é redonda, ela é plana; em seguida nos relatou, e diz ser verdade, que toda essa história começara num tempo tão longínquo que nem conseguiríamos imaginar, sobre os “seres angelicais malignos” que sempre viveram aqui e se relacionaram com os seres humanos, dando origem a descendentes com os genomas modificados e aos quais chamou de híbridos, por causa da mistura do DNA; disse, também, que eles faziam parte de um grupo ao qual chamou de “A Elite” e que está por trás de todos os atos perversos que aconteceram em todas as  civilizações que já existiram em todos os tempos. E disse tudo isso com a autoridade, segundo afirma, de quem veio do mesmo lugar que vieram tais seres. Ora, por que ele seria diferente e quem nos garante que também não está mentindo, como eles? Dada à seriedade dos assuntos aqui tratados, peço que não se ofendam com o que vou dizer, pois, de maneira alguma lhes faltaria com o respeito, mas, nós não sabemos como ele apareceu por aqui e nem de onde veio, realmente. Ou alguém aqui pode dizer?
- Tenha calma...  – disse Maria, dirigindo-se a Alves.
- Mas, eu estou calmo. Eu quero apenas entender. Vocês dois, por seu lado, falaram o que falaram porque estava de acordo com suas crenças cristãs, logo, são suspeitos no que diz respeito a um julgamento imparcial. E quanto a mim? Eu sou um lobo solitário, que buscou um lugar longe das multidões e que, antes disso, viveu parte de sua vida internado num manicômio por ser considerado um indivíduo de personalidade psicopatológica e de comportamento antissocial, ao qual faltava senso de responsabilidade moral ou consciência. É isto que é dito de pessoas como eu.
Se por um acaso qualquer, alguém que por ali estivesse passando e olhasse para o que se desenrolava naquele grupo, ficaria mais do que espantado. Certamente não diria que Alves estava longe de parecer calmo, mas, também não poderia dizer que estivesse nervoso ou mesmo descontrolado; antes, se parecia mais com alguém que tivesse perdido as rédeas do pensamento e sentia-se desamparado, num lugar onde nunca houvera estado antes e sem saber em que direção ir.
E no instante que se seguiu, todos os olhos continuavam fixos em Alves e, sem saber de quem partira, o silêncio foi quebrado.
- Está escrito que no futuro surgirão falsos mestres que, se possível fosse, enganariam até os escolhidos...



Continua...

EP. Gheramer



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

1 comments:

Anonymous said...

E.P esse capítulo 10 é muito interessante...

E como lembrou muito bem o Alves "no futuro surgirão falsos mestres que, se possível fosse, enganariam até os escolhidos... "

Abração meu amigo

Claudiane Ferreira

Post a Comment

Publicações populares