Powered by Blogger.
RSS

Oníricas virtudes


Talvez, quando liberto
do corpo, que abandono
à noite, pelo sono,
eu ponha a descoberto

mistérios do concerto
do mundo, cujo Dono
responde, se eu questiono,
até que, enfim, desperto...

Quem sabe, então, se o informe
clamor das latitudes
por onde vai quem dorme

depois, toque-me as rudes
tendências e as transforme
em pálidas virtudes?...

Gilberto de Almeida
11/12/2015


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comments:

Post a Comment

Publicações populares